Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

ditas avestruz

aves
marias, benditas, beneditas
ditas
seres aladas
mergulhadas na terra
fazem o elo
colhem flores
voam na
luz
guardo dentro de mim um rio existem aqueles que são guardadores de rebanho eu me guardo sem armas sem fronteiras entre o vir-a-ser me desviro e reviro a poeira dentro de mim como se ja tivesse me desaprendendo reaprendo trilhar o caminho iluminando e amorando os cantinhos escondidos encantando para nascer flores lapidando os espinhos eu guardadora de rios desabo e viro semente na terra desaguando num mar-meu de amor sem fim aprendo a ir e vir

aguando-se para festejar

Imagem
sentada, ela-eu olha o mar 
num brinde infinito a fletar com a terra
o espumante do mar-azul celebra a vida o vento convoca o espaço para dança - fale sobre você.  o coração estribilha, dentro fora, os olhos marejam navegando entre as palavras ela sente as palavras em festa seu coração-ponte para o encontro - o que fazes? sentada a olhar o mar ela-eu observa - estou a ser tragada
derretimentos de sentidos
ondular é o jeito que o corpo encontrou para fluir ela-eu flui com os instantes de alegria sente seu corpo-espírito aguar-se tragada pela terra, devorada pelo mar - o que sobra? os escritos e relatos,  dela-eu que acredita passarinhar-se


sopro

acordo estrangeira sólo desconhecido, sozinha comigo: algumas roupas, escritos dentro: alguns cantos a serem limpos fora: um mar de sonhos uma terra para realizações respira renasce enquanto caminha a cada passo um descortinar ela-eu, estrangeira para si e para o outro ela-eu está de retorno, pede licença para caminhar nessas terras a permissão é o reconhecimento eles sabem que ela-eu ja estivera aqui, há tempos, antes de ser quem é ou quem está ela-eu sabe que ja esteve ali de peito aberto abre os caminhos,
pedindo proteção e agradecendo que renasceu-será
na Terra de todos os santos, aporto bastão fincado no amor, abro os olhos o que me trouxe aqui? o trabalho, o estudo um sonho a realidade de renascer e alçar os primeiros voos passarinheira em flor sobrevoo o mar sem fim abro o coração para receber os ensinos desse presente de ser e estar pre-sentir em mim as tantas que ainda serei,  sem deixar de ser uma só