Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

dá oferenda

eu, você
os olhos me oferecem em olhar
você se oferece em sorriso

o silêncio nos oferece cantos
a intuição traz o encanto
o vento, o giro, o movimento

nos oferecemos o encontro
eu me ofereço em pele
você se faz reticências

... me pede oferecimentos
o coração se oferece em amar
você finge não despertar

eu te dou palavras
me doou em versos
... e você resiste em se entregar

a se a entrega não pensasse...
os corpos dançariam

hoje

hoje não escreverei para você, não
por mais que as palavras pulem do centro do meu peito
elas não serão direcionadas para você
as trago para mim, apenas para mim
essa saudade que faz ventania no centro meu peito
hoje não a direcionarei para você
esse vento que me habita
fazendo os sentimentos dançar
não deixarei que eles me orbitem
hoje as palavras não caminharão para te encontrar
não deixarei que elas se percam nesse labirinto
hoje não as prenderei nas imagens que o desejo cria
hoje não desejarei estar perto de você
hoje não quero estar em você
hoje você não está em mim
te tiro do meu hoje
hoje sobretudo hoje, eu não te quero em nada
hoje no todo que me sinto vazia
não deixarei esse fluxo-sentimento me preencher
hoje não te colherei nas minhas escolhas
hoje eu me habito, sozinha
somente, só... mais eu